Archive of ‘Resenhas’ category

7 Motivos para ler “Como Eu Era Antes De Você – Jojo Moyes”

Em junho vai estrear o filme Como Eu Era Antes De Você, baseado no livro de Jojo Moyes. Eu poderia muito bem escrever uma resenha como eu sempre costumo fazer, mas quando eu achar um livro realmente bom eu vou vir aqui e citar motivos para vocês lerem. Dessa vez, chega a ser quase um apelo. Se deem o prazer de ler o livro e depois ver o filme.

DSC_0253_FotorSinopse: Lou Clark sabe uma porção de coisas. Ela sabe quantos passos separam sua casa do ponto de ônibus. Sabe que dora trabalhar como atendente em um café e sabe que provavelmente não ama seu namorado, Patrick. O que Lou não sabe é que está prestes a perder o emprego, e que isso a obrigará a repensar toda sua vida. Will Traynor, por sua vez, sabe que o acidente com a motocicleta tirou dele a vontade de viver. Ele sabe que o mundo agora parece pequeno e sem graça, e sabe exatamente como vai dar um fim a tudo isso. O que Will não sabe é que a chegada de Lou vai trazer de volta a cor à sua vida. E nenhum deles desconfia de que esse encontro irá mudar para sempre a história dos dois.

Abaixo, os motivos para você conhecer essa história linda:

1- Não julgue o livro pela capa, mas se gostou da capa, julgue. Esse livro sempre me chamou atenção pelo titulo e a capa, gostava da leveza dela e como aparentava ser um livro leve. Mas hoje, sei que por trás dessa paleta de cores suaves, existe uma história forte e que os pequenos detalhes da capa foram uma sutileza de Jojo Moyes, ao centralizar nossa personagem “Louisa” em um gesto de libertação, libertando o pássaro. 

2- Permita-se ampliar seus horizontes. O livro se trata de liberdade, desde da luta de um personagem que um dia foi livre até a maneira de como uma personagem conformada encontrará motivos para se libertar. Portanto, ao lê-lo permita-se ampliar seus pensamentos, permita-se entender escolhas e opiniões de outras pessoas. Entenda, que existem pessoas com conceitos totalmente contrários aos seus. Apenas entenda e aceite que não convém mudar isso.

3- De um modo sútil, o feminismo é implantado e a autora bate na tecla daquela questão que a “culpa nunca é da vítima”, empregando uma situação vivida por muitas mulheres e como elas são julgadas e acabam recebendo a culpa, mesmo que as vitimas sejam elas. O livro vai te dá mais um exemplo do que isso pode causar psicologicamente a alguém e o incrível poder que tem uma desconstrução.

4- Você vai enxergar diferentes perspectivas de vida na mesma situação. Wiil Traynor ex-CEA, ex-mergulhador, ex-atleta, viajante e amante agora era também, tetraplégico. E assim como outros tetraplégicos, para ele a possibilidade de continuar vivendo mexendo apenas um braço e a cabeça depois de planejar uma vida tão ativa é praticamente insuportável. Mas no livro, você também encontra relatos de pessoas que se adaptaram e continuam amando a vida mesmo depois de terem ido para cadeira de rodas. Mais uma demonstração de amplitude, diferentes opiniões e aceitação.

5- Você vai se apaixonar pela história e a forma que os personagens aprendem um com o outro. Louisa Clark estava acostumada a uma vida monótoma, não conhecia muito mais que a cidade em que crescera, estava acostumada a seguir sempre a mesma rotina. Will Traynor tinha tido diversas aventuras e experiências incríveis, era um homem que um dia já foi apaixonado pela vida. As diferenças entre os dois contribuiram para o aprendizado de ambos, de um modo que Lou proporcionou os melhores meses que Will já tinha vivido e Will por sua vez, abriu a mente de Louisa e despertou nela a vontade de ter uma vida brilhante.

6- Você vai rir o livro inteiro. Eu sorria da ironia de Will, de como Lou era desastrada, de como os dois faziam piada um do outro e de como isso dava tão certo. Sorria com o jeito mandão de Will e a forma que Lou era cabeça dura com sua teimosia e ainda assim eles tinham uma sintonia perfeita.

7- Mas também vai chorar o dobro disso, se for sentimental com livros como eu sou, prepare os lencinhos. Você vai chorar em ver como os dois são perfeitos um para o outro, vai chorar ao perceber quantos empecilhos existem para ambos. Vai chorar com a luta de Lou contra o tempo e com a luta interna de Will. Mas depois que você chorar tanto, vai se encantar e se confortar, assim como o livro se conforta.

Espero que quando vocês lerem esse livro, seus horizontes sejam ampliados assim como o de Louisa foi. Que vocês comecen a olhar a vida com outra perspectiva, enxergando pelos olhos de outras pessoas, respeitando a liberdade e diferentes escolhas, inclusive as suas.  E se vocês já leram, me ajudem (ou não) a convencer mais pessoas, citando mais motivos nos comentários.

barrapé

 

Resenha: Cinderela Pop – Paula Pimenta {Monday Books}

No mês passado, tive a honra de conhecer uma das grandes escritoras brasileiras, Paula Pimenta. No lançamento do seu livro Cinderela Pop, que aconteceu na Saraiva do Shopping Riomar, em Aracaju. Depois de ter lido o livro e amado, claro que não poderia deixar de trazer a resenha para vocês.

11354822_830567050370566_1004799766_n

Cintia é uma adolescente que tinha a vida dos sonhos, morava com seus pais no apartamento dos sonhos e tinha  tudo que alguém na sua idade poderia querer. Até que um dia, a desilusão bateu em sua porta e levou tudo que ela tinha de mais precioso, inclusive sua esperança no amor e em toda história de romances.

11350077_830567037037234_621710908_n

Sempre lutando por sua independência e apaixonada por música, Cintia decide trabalhar como DJ no seu tempo livre, para distrair e ganhar uma grana extra. Até que em uma dessas festas, ela conhece Fredy, o príncipe que promete descongelar o coração da DJ. Mas como em todo conto de fadas da vida real, não será tão fácil assim.

11289791_830567103703894_170896147_n

Com uma leitura descontraída, Paula Pimenta ensina grandes lições com o Cinderela Pop, e prova que assim como Cintia, nem sempre é fácil ser adolescente, o que fez muita gente se identificar com a personagem. Além de trazer as playlist’s que Cintia usa, o livro também tem a música do Fredy Prince. Que vocês podem ouvir aqui em baixo, para pular direto para música é só ir para os 4:30.

Editora: Galera Record | Páginas: 156 | ISBN: 978-85-01-10358-1| Avaliação: 7/10

Infelizmente, meu livro estava na mochila quando eu fui pega despreparada pela chuva, daí ele acabou estragando um pouco. 🙁 Clique aqui para conferir as fotos do dia do lançamento em Aracaju.

Nos vemos no próximo post, espero que tenham gostado! <3

barrapé

Resenha: Cidades de Papel – Jonh Green {Monday Book}

  • DSC_0707

O livro conta a história de Quentin ou apenas Q., e sua sina por Margo Roth Spiegelman (cujo nome deve ser dito por completo como se fosse uma reverência). Margo, além de ser maravilhosamente linda, era insana, sua vida era uma série de aventuras épicas, resultado das suas tentativas para viver fora dos padrões impostos.

DSC_0700

Apesar de terem sido muito amigos durante a infância, Q. e Margo se distanciaram e durante o ensino médio eram quase desconhecidos. Margo era uma lenda viva, todo mundo ouvia falar sobre suas aventuras, todo mundo queria se aproximar dela. Enquanto Quentin, era apenas um garoto comum, que a observava de longe, apaixonado, como sempre foi.

DSC_0715

Até que em uma noite, Margo invade a janela de Q. e o leva para uma noite de aventuras inesquecíveis, e quando finalmente Quentin achava que depois daquela noite voltaria a ser amigo da garota misteriosa, ele descobre que no dia seguinte a garota misteriosa se tornou o mistério, no qual Q. vai se envolver totalmente para desvendar, mesmo que isso envolva ir para uma cidade de papel e nunca mais voltar.

DSC_0717

Quando terminei de ler “Cidades de Papel”, tive de imediato a sensação de concordância com uma das citações do livro, que fala sobre o futuro: “E agora a vida se tornou o futuro, todos os momentos da vida são vividos no futuro.” E realmente vivemos pensando no para sempre, vivemos planejando um futuro e esquecemos de viver o presente. E como diz Emily Dickinson, em uma frase citada por Margo, “O futuro pra sempre é composto de agoras.”

Editora: Intrínseca| Páginas: 251 | ISBN: 978-25-8057-455-5| Avaliação: 9/10

Cidades de Papel vai virar filme! E aqui está o trailer pra vocês!

Espero que tenham gostado, pessoal! Deixem comentários com opiniões e sugestões. Beijos e até o próximo post!

barrapé

Série #Meu Primeiro Blog – Bruna Vieira {Monday Books}

Faz muito tempo que eu queria vim aqui no blog para falar da série da Bruna Vieira, mas tentei me conter um pouco por já ter falado muito dela. Agora, acho que chegou o momento certo e cá estamos!

DSC_0486

Música composta pela Bruna Vieira para o segundo livro da série, clique para ouvir enquanto lê nossa resenha:

A Série “Meu Primeiro Blog” atualmente está composta por dois livros, o “De Volta aos Quinze” e o “De Volta aos Sonhos” que o lançamento foi aqui em Aracaju. A série conta a vida de uma mulher de 30 anos, chamada Anita, que estava totalmente insatisfeita com  o rumo que tinha tomado a sua vida, até que ao acessar seu blog antigo ela tem a oportunidade de viajar no tempo, ela volta aos seus 15 anos.

DSC_0473

Certo, mas não pense que ela voltou tomou novas escolhas, consertou sua vida e pronto, Anita fez muita coisa que acabou modificando o futuro dela radicalmente, o que trouxe consequências boas e ruins,  o que fez com que ela perdesse e ganhasse, inclusive no amor.

DSC_0474

O dois livros, trazem assuntos muito legais,  como  a blogosfera, fotografia, viagens, amor e música, como vocês puderam ouvir no inicio do post, Bruna escreveu uma exclusiva para o livro, além de trazer muitas playlists que vocês podem ouvir enquanto lê. Você pode conferir algumas bem aqui.

DSC_0480

A série promete ter uma continuação com um desfecho arrasador e a Bruna Vieira me surpreendeu muito como escritora, superou as minhas expectativas. O livro faz você questionar suas escolhas, e em quem você está tentando agradar com elas, pois temos apenas uma vida e infelizmente ela não vem com a opção para voltar no tempo.

Espero que tenham gostado, não esqueçam de comentar sugestão ou opinião para eu conhecer o ponto de vista de vocês também! Beijos, até o próximo post!

Editora: Gutenberg | Páginas: 222 e 205 | ISBN: 978-85-8235-079-9 e 978-85-8235-185-7| Avaliação: 9/10

barrapé